SeCArte
  • Publicado em 25/05/2017 às 13:40


  • III Semana da Dança UFSC: Tadashi Endo apresenta o espetáculo “MA”

    Publicado em 28/05/2017 às 16:02

    Tadashi Endo apresenta na III Semana da Dança UFSC o espetáculo “MA”. A apresentação acontece neste sábado, dia 03 de junho, às 20h, no Auditório Garapuvu, no Centro de Cultura e Eventos da UFSC.  Os ingressos antecipados para o espetáculo serão distribuídos nos dias 31 de maio, 01 e 02 de junho na secretaria do Departamento de Cultura e Eventos da UFSC. No dia do espetáculo, 3 de junho, os ingressos serão distribuídos uma hora antes da apresentação, na entrada do Auditório. O espetáculo é gratuito e aberto ao público.

    Foto: divulgação

    Sobre o espetáculo MA
    “MA” é o símbolo do espaço entre as coisas, mostra imagens de transformações, torna visível o invisível, convida para dentro do seu vazio interior e enche sua alma de profunda satisfação. A vida de Tadashi foi marcada por um “MA”, sua dança transita na fronteira entre dois mundos: Japão e Europa. Desta forma, “MA” é um olhar transcendente do mundo exterior para o mundo interior do coreógrafo-intérprete. Uma expressão de suas experiências como criança, adulto, pai, viver a tristeza e a alegria no momento presente. Isto é MA.

    Sobre o artista Tadashi Endo
    Tadashi Endo, artista multifacetado, que além de diretor e bailarino é um dos mestres da técnica do Butoh. É diretor do MAMU Butoh-Center em Göttingen, Alemanha. Reúne em seu fazer artístico a sabedoria das tradições da dança e do teatro, Ocidental e Oriental, construindo um trabalho único e extremamente pessoal.
    Continue a leitura » »


  • 11º FITA: Espetáculo ‘Blind’, com grupo da Holanda, encerra o Festival neste sábado

    Publicado em 27/05/2017 às 6:00

    Foto: divulgação

    A décima primeira edição do Festival Internacional de Teatro de Animação – FITA 2017 chega ao seu oitavo e último dia neste sábado, 27 de maio, com apresentação do espetáculo “Blind”, dirigido por Nancy Black, do grupo holandês “Duda Paiva Company”, às 20 horas, no Teatro Ademir Rosa – CIC, em Florianópolis.
    Existencialista e contemporânea, a peça conta a história de um homem que se torna cego e perde o senso de si. Baseado na experiência de cegueira temporária do próprio dançarino/bonequeiro quando criança, o espetáculo traça a jornada de um trauma que pode mudar a vida. No espetáculo, vê-se refletida a cegueira, o encontro com a escuridão, o medo e outras intensas emoções que esta experiência pode despertar. Ao mesmo tempo, a cegueira como metáfora transcende a experiência pessoal do artista ou qualquer temporalidade específica, para trazer à baila uma reflexão sobre a importância de encontrar no caos ou na escuridão formas de reconstruir o olhar, a visão.

    O Festival Internacional de Teatro de Animação (FITA), já consagrado como um dos grandes festivais do gênero do Brasil, lotou os espaços por onde passou este ano – foram seis cidades e cerca de 36 espetáculos de 13 importantes grupos nacionais e internacionais (Brasil, Chile, Espanha, Peru e Uruguay).
    Continue a leitura » »


  • III Semana da Dança UFSC: Cena 11 apresenta o espetáculo “Protocolo Elefante”

    Publicado em 26/05/2017 às 15:14

    A terceira atividade da III Semana da Dança UFSC será a apresentação do espetáculo “Protocolo Elefante”, do Grupo Cena 11 Cia. de Dança. A apresentação acontece no dia 02 de junho, às 20h, no Auditório Garapuvu, no Centro de Cultura e Eventos da UFSC.  Os ingressos antecipados para o espetáculo serão distribuídos nos dias 31 de maio e 1° de junho na secretaria do Departamento de Cultura e Eventos da UFSC. No dia do espetáculo, 2 de junho, os ingressos serão distribuídos uma hora antes da apresentação, na entrada do Auditório. O espetáculo é gratuito e aberto ao público.

    Foto: divulgação

    Sobre Protocolo Elefante
    Com início da pesquisa em dezembro de 2014, Protocolo Elefante é a peça coreográfica que conclui o Projeto homônimo do Grupo Cena 11. O Grupo Cena 11 evoca, em Protocolo Elefante, um réquiem-nascimento na tensão entre o esquecimento e novos futuros. Uma quietude cheia de gente, que insiste em perguntar: Porque continuar?

    Protocolo Elefante investiga na ação de afastamento e isolamento do elefante na iminência de sua morte uma metáfora de separação e exílio. Um questionamento sobre o modo como fatores contidos no ambiente ao qual pertencemos (pessoas, comportamentos, línguas, afetos, objetos e dispositivos relacionais de convívio) são afetados quando migramos a sós para um contexto diverso e distante destas familiaridades e simetrias do pertencer. O acionamento do sentimento de falta, produzido por este encontro assimétrico de identidades, é um importante objeto condutor para algumas perguntas chave que conduziram a pesquisa: O que é pertencer ou necessidade de pertencimento? Qual é a nossa definição de identidade?

    Protocolo Elefante é um ritual de descontinuidade e vestígio, é entender identidade como entropia. É propor um Grupo compartilhando a solidão que nos define.
    Continue a leitura » »


  • Projeto de Extensão “Cantos de Gaia: alquimias sonoras” promove encontros de canto pré-natal para gestantes

    Publicado em 26/05/2017 às 14:18

    O projeto de extensão ‘Cantos de Gaia: alquimias sonoras’, vinculado ao ‘Grupo de Pesquisa Poéticas da Voz’, do Curso de Artes Cênicas da UFSC, realiza, desde 2015, atividades de canto com o enfoque no gênero feminino, interligando música, saúde e arte.

    Os próximos encontros acontecem em 31 de maio; 14 e 28 de junho; e 12 de julho, das 10h às 12h, na sala 208 do Curso de Artes Cênicas, no Bloco D do Centro de Comunicação e Expressão (CCE). As focalizadoras são Janaina Martins, Kalinne Ribeiro e Aline Soares. Os encontros são gratuitos e abertos à comunidade. Inscrições podem ser feitas pelo e-mail .

    Além destes, haverá uma oficina do projeto na III Semana da Dança UFSC, no dia 07 de junho, às 10h, no mesmo local dos encontros acima (confira a programação completa do Semana aqui).

    As atividades oferecidas para a comunidade são: rodas de cantos femininos com tambores; encontros de canto pré-natal com gestantes e vivências de canto e de dança para mamães e bebês. As vivências envolvem práticas de voz e de cantorias como procedimentos para uma jornada nas dimensões corpóreo-afetivas que envolvem a feminilidade, a gestação, o parto e a maternidade.
    Continue a leitura » »


  • Fortalezas de Santa Catarina indicadas à Unesco como Patrimônio da Humanidade

    Publicado em 26/05/2017 às 13:57

    Duas das fortificações históricas catarinenses que a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) administra podem se tornar Patrimônio Mundial. As Fortalezas de Santa Cruz de Anhatomirim e de Santo Antônio de Ratones foram indicadas à Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) para tornarem-se Patrimônio da Humanidade. Anhatomirim está sob a gestão da UFSC desde 1979 enquanto Ratones desde 1991. A UFSC também é gestora da Fortaleza de São José da Ponta Grossa, desde 1991, mas essa fortificação não foi indicada junto com suas coirmãs.

    Seminário Internacional Fortificações Brasileiras. (Foto: Roberto Tonera)

    Outras 17 fortificações brasileiras também integram a lista, tentativa que o Governo Federal (via Ministério da Cultura/IPHAN) apresentou à UNESCO: Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande; Forte de São João de Bertioga; Fortaleza de Santa Cruz da Barra; Fortaleza de São João; Forte de N. S. de Monte Serrat; Forte de Santa Maria; Forte de São Diogo; Forte de São Marcelo; Forte de Santo Antônio da Barra; Forte São Tiago das Cinco Pontas; Forte São João do Brum; Forte Santa Cruz de Itamaracá (Forte Orange); Forte de Santa Catarina; Forte dos Reis Magos; Fortaleza de São José de Macapá; Real Forte Príncipe da Beira; e Forte de Coimbra.
    As fortificações não concorrem individualmente ao título de Patrimônio Mundial, mas sim o conjunto das 19 fortificações brasileiras, em um processo de candidatura seriada.
    Continue a leitura » »


  • 11º FITA: Confira as atrações do Festival para esta sexta-feira

    Publicado em 26/05/2017 às 8:46

    Foto: divulgação

    A décima primeira edição do Festival Internacional de Teatro de Animação – FITA 2017 chega ao seu sétimo dia de apresentações nesta sexta-feira, 26 de maio, com espetáculos em Florianópolis (Teatro Ademir Rosa – CIC, Teatro Álvaro de Carvalho – TAC, Centro de Cultura e Eventos da UFSC) e Balneário Camboriú (Teatro Bruno Nitz). Confira abaixo a programação do dia.

    POR QUE NEM TODOS OS DIAS SÃO DIAS DE SOL?
    LOCAL: Teatro Ademir Rosa – CIC – Florianópolis
    HORÁRIO: 10h/15h
    QUANTO: Gratuito.

    Sinopse: Trabalhando a partir do conceito da lembrança, o espetáculo é narrado por quatro atores que contam, cada um, uma história que aborda o ser criança e virar adulto. Utilizando a multiplicidade de linguagens, o espetáculo é uma reflexão poética sobre esta transição.
    Continue a leitura » »


  • 11º FITA: Confira as atrações do Festival para esta quinta-feira

    Publicado em 25/05/2017 às 8:00

    Por que nem todos os dias são de sol? Foto: divulgação

    A décima primeira edição do Festival Internacional de Teatro de Animação – FITA 2017 chega ao seu sexto dia de apresentações nesta quinta-feira, 25 de maio, com espetáculos em Florianópolis (Teatro Ademir Rosa – CIC, Centro de Cultura e Eventos – UFSC, Teatro Álvaro de Carvalho – TAC, Teatro da UFSC) e Joinville (Sesc Joinville). Confira abaixo a programação do dia.

    POR QUE NEM TODOS OS DIAS SÃO DIAS DE SOL?
    LOCAL: Teatro Ademir Rosa – CIC, Florianópolis
    HORÁRIO: 15h
    QUANTO: Gratuito

    Sinopse: Trabalhando a partir do conceito da lembrança, o espetáculo é narrado por quatro atores que contam, cada um, uma história que aborda o ser criança e virar adulto. Utilizando a multiplicidade de linguagens, o espetáculo é uma reflexão poética sobre esta transição.
    Continue a leitura » »


  • III Semana da Dança UFSC: Demonstração de Tadashi Endo

    Publicado em 24/05/2017 às 10:44

    Foto: divulgação

    A segunda atividade da III Semana da Dança da UFSC será uma palestra/demonstração com o bailarino Tadashi Endo, que acontecerá nas Salas Pitangueira e Laranjeira, no dia 02 de junho às 15h. Na palestra/demonstração, Tadashi Endo compartilha com o público suas influências artísticas e sua trajetória na dança Butoh.

    Tadashi Endo, aluno do grande dançarino de Butoh Kazuo Ohno, encontrou seu caminho na dança no que ele chama de “Butoh-MA”. MA no Zen-Budismo significa “vazio” e “espaço entre as coisas”. Butoh-MA é o caminho para tornar visível o invisível. O mínimo de movimentos faz com que a expressão dos sentimentos e situações cresça em intensidade. Torna-se mais importante manter o equilíbrio entre energia, tensão e controle, do que se preocupar com a forma e a estética dos movimentos. A intenção do dançarino de Butoh é encontrar a relação com seu mundo mais profundo a partir do qual sua dança ganha corpo e se expressa no espaço e no tempo. A maneira particular que o Butoh trabalha o corpo abre caminhos de busca para atores e bailarinos, dado que sua principal característica é o encontro de uma dança que seja antes de tudo conectada com a pessoa que a realiza.
    Continue a leitura » »


  • Cine Paredão apresenta A NUVEM de Fernando Solanas

    Publicado em 24/05/2017 às 10:19

    Nesta sexta-feira, 26 de maio, o Projeto Cine Paredão promove a exibição do filme A Nuvem, de Fernando Solanas. A apresentação do filme é gratuita e será no Bosque do CFH, ás 19h.

     SINOPSE:
    Buenos Aires parece eternamente coberta pela névoa e pela chuva, pessoas e automóveis andam estranhamente para trás. Neste ambiente, um grupo de teatro luta pela sobrevivência face ao abandono governamental. E este descaso é apenas uma das dificuldades que o grupo enfrenta que chegam até mesmo à ameaça de demolição, resultado da especulação imobiliária. O filme é uma alegoria sobre o poder político e a burocracia, misturando realidade e ficção, mantendo a postura de denúncia e resistência que o diretor sempre assumiu.

    Ficha técnica:
    Direção e Roteiro: Fernando Solanas
    Elenco: Ângela Corrêa, Christophe Malavoy, Eduardo Tato Pavlowski, Franklin Caicedo, Laura Novoa.
    Ano: 1998
    Duração: 2h03m
    Confira o trailer do filme.
    Continue a leitura » »