Semana Ousada: O invisível também se deixa fotografar

25/11/2011 18:09


http://www.semanaousada.udesc.ufsc.br/

Não há inquietação maior do que aprender a dúvida, resistir ao senso comum e, mais, fotografar o que não existe. Foi com essa sugestão de objeção e não-resposta que o fotógrafo Danísio Silva com a oficina “Fotografando o In-visível a partir da Realidade?” se propôs a ensinar na 4ª Semana Ousada de Artes UFSC/Udesc.

“Buscar a dúvida e não a certeza”, Danísio resumiu a oficina dessa maneira. E haja dúvida. Inscreveram-se 41 pessoas para as dez vagas. Fato que surpreendeu o fotógrafo e o fez confirmar o que havia pensado. “As pessoas procuram a dúvida”. Uma oficina que incita observar o que não existe e procura construir a visão particular da realidade de cada participante através da foto. “A oficina é a criação da dúvida através da imagem. Ela só traz dúvida. A dúvida que faz a gente caminhar”, comentou.

Trazer o rompimento do mundo da imagem e questioná-la a partir da realidade e visão de cada um. Os participantes aprenderam a observar o que não é definitivo – o que não existe. Como exercício prático para essa concepção, foram produzidas fotos a partir do conceito da Fotografia Efêmera – foto que existe no exato momento do flash. Em cima de uma mesa foi colocado um incenso aceso, com a sala escura e um jogo de flash, os participantes tiraram fotos da fumaça que era produzida e criaram uma foto única que não poderia ser repetida.

Com a câmera em mãos, os alunos da oficina dançaram conforme o movimento da fumaça, que naquele momento, era a maior representação do invisível. A imagem que muda em relação ao tempo e que existe nos olhos, momento e desequilíbrio da realidade ou não-realidade. Enquanto interagiam com a máquina, o flash e a fumaça, os alunos eram provocados por Danísio, a cada incentivo de “começar a entrar na foto e criar uma relação íntima com a fotografia”.

Perguntado, quase ingenuamente, como era possível observar o invisível, Danísio definiu: “Todo mundo vê, mas não enxerga o invisível.” Prosseguiu ainda, ao decifrar o que muitos chamaram de loucura: “É a loucura, institucionalizada ou não”.

Após a conclusão da oficina nesta sexta-feira, dia 25, será organizada uma exposição com as fotos produzidas pelos participantes no decorrer da Semana Ousada de Artes. A ideia é que alunos do Curso de Filosofia da UFSC participem da exposição para interagir com a concepção de fotografia invisível, com conceitos filosóficos da imagem.

Por Ricardo Pessetti / Bolsista de Jornalismo da Agecom

Leia mais:

 

Divulgação:

Raquel Wandelli

Jornalista da UFSC na SeCArte

raquelwandelli@yahoo.com.br

Informações: 37218304

 

ousadaufscudesc@reitoria.ufsc.br

www.secarte.ufsc.br

www.semanaousada.ufsc.udesc.br

Última oportunidade para assistir a peça Oxigênio

25/11/2011 16:59

Elenco da peça em atuação

 

http://www.semanaousada.udesc.ufsc.br/

Produção teatral movimentada e inteligente levanta o público de Florianópolis como fez com o resto do país. Drama-comédia-musical que faz refletir sobre o essencial da vida encerra hoje (25), às 19 e 21 horas, a Semana Ousada de Artes

Com duas apresentações ovacionadas de pé pelo público do Garapuvu na noite de quinta-feira (25), a peça Oxigênio, de Márcio Abreu, repete a dose hoje (25) no encerramento da 4ª Semana Ousada de Artes UFSC/UDESC. O que move o fio condutor dessa narrativa que mistura várias linguagens artísticas, como drama, rock ao vivo, drama, comédia, é a pergunta: “O que é o essencial para você?”. Ou, ainda, na metáfora da respiração que o trio eletrizante de atores formado por Patrícia Kamis, Rodrigo Bolzan e Gabriel Schwartz coloca a derivar durante essa provocativa e inovadora narrativa teatral que diverte, emociona, faz pensar, dançar e voltar pra casa com a alma revirada perguntando-se: “O que é o oxigênio para mim?”.

 

Às 19 horas e às 21 horas, no auditório do Garapuvu, no Centro de Cultura e Eventos da UFSC, o espectador tem a última oportunidade de assistir gratuitamente essa peça que está alavancando elogios da crítica e do público em sua turnê pelo país. O texto do russo Ivan Viripaev, inédito no Brasil, em um espetáculo musicado que conta a história de um casal, uma história de amor e um assassinato, ganha vida e contemporaneidade na dramaturgia arrojada de Márcio Abreu indicada pelo coordenador do Curso de Artes Cênicas da UFSC, Fábio Salvatti. Integrantes de uma banda de rock apresentam, em dez composições, não apenas a história de um homem, sua mulher e sua amante, mas também se deixam interpelar sobre temas como a violência, sexo, religião, consumismo e alienação. “É uma produção muito inteligente e atrativa para as pessoas abertas a pensar sobre as questões fundamentais da vida. Por isso a selecionamos para a Semana Ousada”, analisa a secretária de Cultura e Artes da UFSC, Maria de Lourdes Borges, coordenadora do evento.

 

Em uma viagem reflexiva que parte do decálogo das Tábuas dos Dez Mandamentos, a peça vai arrastando pelo caminho textos da cultura clássica, pop e industrial, produzindo entretenimento com conteúdo e experimentação. Assim, humor e erudição, às vezes lirismo e leveza, muitas outras tragédia e densidade se misturam para colocar do avesso as atitudes e hábitos contemporâneos. O resultado é um profundo mergulho na existência: “A  maior reflexão que queremos provocar é sobre o que é essencial para cada um”, diz produtora da companhia Nina Ribas. Produzida pela Companhia Brasileira de Teatro, a obra estreou em dezembro de 2010 em Curitiba e concorre a dois prêmios da revista digital Questão de Crítica: melhor cenografia e melhor diretor. A companhia acaba de voltar de turnê pelo Brasil e está com mais três espetáculos: o premiado Vida, Descartes com lentes e Isso não te interessa, todos na direção da arte e da cultura essenciais.

 

 

Texto e Divulgação:

Raquel Wandelli

Jornalista da UFSC na SeCArte

raquelwandelli@yahoo.com.br

Informações: 37218304

 

ousadaufscudesc@reitoria.ufsc.br

www.secarte.ufsc.br

www.semanaousada.ufsc.udesc.br

 

 

 

 


Espetáculo Oxigênio faz pensar o que é essencial na vida

24/11/2011 15:27

http://www.semanaousada.udesc.ufsc.br/

O espetáculo mais aguardado desta quinta e sexta-feira (24 e 25), no encerramento da 4ª Semana Ousada de Artes UFSC/UDESC é a peça Oxigênio, de Márcio Abreu, que faz quatro apresentações à noite no auditório Garapuvu do Centro de Cultura e Eventos da UFSC, às 19 e às 21 horas. Marcada pela ousadia estética e a linguagem experimental, a peça enseja uma profunda reflexão sobre as necessidades do indivíduo contemporâneo no texto de um aplaudido dramaturgo e na atuação de dois expressivos atores.

Elenco da peça em atuação

As atividades de teatro, cinema, literatura, música, dança, exposições, mostras e oficinas espraiam-se por todos os dois campi, da manhã até a noite de sexta-feira nos palcos das duas universidades e de mais 16 cidades do Estado. Uma centena de espetáculos gratuitos e abertos ao público durante os três períodos está sendo oferecida gratuitamente à população, graças à união de esforços das duas universidades.  Ainda há vagas para todas as apresentações do Oxigênio, das 19 e das 21 horas na quinta e na sexta. “Para o encerramento dessa overdose de programação artística, a Semana Ousada investe nessa reconhecida produção nacional do teatro, premiada pela crítica e pelos festivais de teatro do País”, convida Maria de Lourdes Borges, secretária de Cultura e Arte da UFSC, que promove a Semana em parceria com a Pró-Reitoria de Extensão, Cultura e Comunidades da UDESC.

Com a encenação de Oxigênio, a companhia brasileira de teatro lança no Brasil a obra de Ivan Viripaev, completamente inédita no país. O trabalho do dramaturgo, nascido na Sibéria, tem forte identificação com o trabalho da companhia. “A musicalidade da palavra expressa no texto, a forma de se colocar diante do público e a revisão do teatro como modo de contato com a plateia são apenas alguns dos elementos que nos conquistaram”, conta o diretor Márcio Abreu. O texto trata de assuntos contemporâneos como violência, terrorismo, racionalidade, consumismo. “Discute tudo isso investigando sobre o que é essencial na existência”, completa.

Na quinta-feira (25) às 17 horas, a atriz Ilse Körting, formanda do curso de Artes Cênicas da UFSC,  se metamorfoseia na figura de um velho para encenar o ensaio aberto O monólogo de Miguel. Dirigido por Gustavo Bieberbach e Ricardo Goulart, o espetáculo será apresentado na sala 402 do Curso de Artes Cênicas, localizadas no Centro de Ciências Físicas e Matemáticas. A narrativa gira em torno de um escritor que ao tentar escrever sobre a ira descobre a dimensão de seus traumas de infância. A realidade e a ficção se entrelaçam para que ele descubra quem ele é e a profundidade da amargura que carrega. Às 20 horas de sexta, nas obras do antigo Centro de Convivência, aproveitando o cenário sinistro, a mesma atriz apresenta Os inomináveis, criação a partir das peças Play e Footfalls, de Samuel Beckett.

Paralelamente, termina na sexta (25), no Auditório da Reitoria, a Mostra de Cinema Argentino, que desde segunda-feira apresenta seis grandes realizações cinematográficas da década de 40 aos anos recentes, mostrando os percursos históricos dessa arte. O projeto 12:30 também está ocorrendo todos os dias, com uma pauta intensa de bandas e músicos e a  TV UFSC está transmitindo uma programação especial em homenagem ao poeta Cruz e Sousa, com a exibição do documentário Cruz e Sousa, a volta de um desterrado, de Cláudia Cárdenas e Rafael Schlichting e do filme  Cruz e Sousa o poeta do Desterro, do cineasta Sylvio Back, que será transmitido na quinta (24), às 23 horas.

Fazem parte desse pool de eventos de arte e cultura as cidades de Araranguá, Balneário Camboriú, Calmon, Chapecó, Curitibanos, Dionísio Cerqueira, Guarujá do Sul, Joinville, Lages, Laguna, Ibirama, Matos Costa, Palma Sola, Palmitos, Pinhalzinho e São Bento do Sul.

 

Texto e divulgação:

Raquel Wandelli

Jornalista da UFSC na SeCArte

raquelwandelli@yahoo.com.br

Informações: 37218304

 

ousadaufscudesc@reitoria.ufsc.br

www.secarte.ufsc.br

www.semanaousada.ufsc.udesc.br

 

 

 

 

Dentrofora e Oxigênio propõem reflexão sobre homem contemporâneo

23/11/2011 17:45

Dentrofora homenageia Samuel Beckett

As grandes atrações desta quarta, quinta e sexta-feira (23 a 25) da 4ª Semana Ousada de Artes UFSC/UDESC são os espetáculos Dentrofora, peça baseada em texto de Samuel Beckett, e Oxigênio, de Márcio Abreu. Ambas fazem parte da programação noturna no auditório Garapuvu do Centro de Cultura e Eventos da UFSC. As duas peças têm em comum a ousadia estética e a linguagem experimental, além de ensejarem uma profunda reflexão sobre as necessidades do indivíduo contemporâneo no texto de dois grandes dramaturgos. O supercircuito de eventos artísticos vai até sexta-feira à noite nos palcos das duas universidades e de mais 16 cidades do Estado, oferecendo uma centena de espetáculos gratuitos e abertos ao público durante os três períodos.

Depois de abrir com a Camerata Florianópolis estreando o grandioso espetáculo “Sinfonia Terra”, concebido pelo maestro Alberto Heller, a programação da Semana Ousada investe em duas reconhecidas produções nacionais do teatro, premiadas pela crítica e pelos festivais de teatro do País. As atividades de teatro, cinema, literatura, música, dança, exposições, mostras e oficinas espraiam-se por todos os dois campi, da manhã até a noite. Ainda há vagas para todos os espetáculos, convida Maria de Lourdes Borges, secretária de Cultura e Arte da UFSC, que promove a Semana em parceria com a Pró-Reitoria de Extensão Cultura e Comunidades da UDESC.

Dentrofora é uma homenagem a uma das mais famosas obras de Beckett, Dias Felizes. Dirigida por Marcio Abreu, com Patrícia Kamis, Rodrigo Bolzan e Gabriel Schwartz, o Vadeco, responsável também pela música, a trama parte de um crime passional. Um homem, acusado pelo assassinato da própria mulher é condenado, juntamente com sua amante. A partir dessa fábula começa uma discussão, polêmica e poética, sobre dramas de uma geração e o que é o “oxigênio” de cada um. A peça estreou em dezembro de 2010 na sede da companhia brasileira de teatro em Curitiba.

Com a encenação de “Oxigênio”, a companhia brasileira de teatro lança no Brasil a obra de Ivan Viripaev, completamente inédita no país. O trabalho do dramaturgo, nascido na Sibéria, tem forte identificação com o trabalho da companhia. “A musicalidade da palavra expressa no texto, a forma de se colocar diante do público e a revisão do teatro como modo de contato com a plateia são apenas alguns dos elementos que nos conquistaram”, conta o diretor Márcio Abreu. O texto trata de assuntos contemporâneos como violência, terrorismo, racionalidade, consumismo. “Discute tudo isso investigando sobre o que é essencial na existência”, completa.

Oxigênio discute o essencial da vida

Às 19 horas desta quarta acontece também a peça Setembro,no Teatro da UFSC, que busca discutir a experiência humana a partir dos eventos ocorridos em 11 de setembro de 2001, que em 2011 completaram dez anos. “Esses eventos deixaram marcas visíveis no nosso dia a dia e alteraram tanto as relações geopolíticas quanto as relações interpessoais no mundo em que vivemos”, diz o diretor Fábio Salvatti. Realizada pelos formandos do curso de Artes Cênicas da UFSC, Setembro parte do pressuposto de que o teatro pode constituir um fórum poético, sensível e intelectual para a discussão de causas e conseqüências desse acontecimento mais marcante do século XXI.

Na sexta-feira (25) às 20 horas, a atriz Ilse Körting, formanda do curso de Artes Cênicas da UFSC,  se metamorfoseia na figura de um velho para encenar o ensaio aberto O monólogo de Miguel. Dirigido por Gustavo Bieberbach e Ricardo Goulart, o espetáculo será apresentado nas obras do antigo Centro de Convivência, aproveitando o cenário sinistro para fazer atuar um escritor que ao tentar escrever sobre a ira descobre a dimensão de seus traumas de infância. A realidade e a ficção se entrelaçam para que ele descubra quem ele é e a profundidade da amargura que carrega.

Paralelamente, começou no dia 21 e vai até o dia 25, no Auditório da Reitoria, a Mostra de Cinema Argentino, que apresenta seis grandes realizações cinematográficas da década de 40 aos anos recentes, mostrando os percursos históricos dessa arte. O projeto 12:30 também está ocorrendo todos os dias, com uma pauta intensa de bandas e músicos e a  TV UFSC está transmitindo uma programação especial em homenagem ao poeta Cruz e Sousa, com a exibição do documentário Cruz e Sousa, a volta de um desterrado, de Cláudia Cárdenas e Rafael Schlichting e do filme  Cruz e Sousa o poeta do Desterro, do cineasta Sylvio Back, que será transmitido no dia 24 de novembro, às 23 horas.

Fazem parte desse poolde eventos de arte e cultura as cidades de Araranguá, Balneário Camboriú, Calmon, Chapecó, Curitibanos, Dionísio Cerqueira, Guarujá do Sul, Joinville, Lages, Laguna, Ibirama, Matos Costa, Palma Sola, Palmitos, Pinhalzinho e São Bento do Sul.

Semana Ousada de Artes Do tango, à guerra e ao poético: os percursos do cinema argentino

21/11/2011 11:20

http://www.semanaousada.udesc.ufsc.br/

Mostra eclética que vai do século passado às produções mais recentes e expressivas do cinema argentino traz oportunidade única de acompanhar os percursos dessa arte na América Latina

A Mostra de Cinema Argentino dá a largada, nesta segunda-feira (21), às 17h30min, no Auditório da Reitoria da UFSC, às atividades da 4ª Semana Ousada de Artes UFSC/UDESC, que é fruto da união de esforços dos órgãos gestores de cultura das duas universidades. O evento terá na abertura o pronunciamento da cônsul argentina Mariana Bramano acerca do momento em que vive a produção artística e cinematográfica da América Latina. A mostra paralela vai até o dia 25, reunindo seis dos mais significativos longas-metragens do cinema argentino dos anos 40 ao terceiro milênio, todos seguidos de debates com produtores e especialistas convidados, gratuitos e abertos ao público.

 

Organizado pelo Núcleo Onetti e Curso de Cinema da UFSC, o circuito cinematográfico antecede a abertura oficial da Semana Ousada, que ocorre às 20 horas de segunda-feira, no auditório Garapuvu do Centro de Cultura e Eventos da UFSC, com a apresentação do espetáculo multiartístico “Sinfonia Terra”, da Camerata Florianópolis. Será uma oportunidade única de ver reunidos no mesmo evento realizações ecléticas e fundamentais para perceber os percursos históricos dessa estética cinematográfica, aponta o professor Raúl Antelo, que encerra a mostra na sexta-feira. “As obras selecionadas trazem inquietações culturais, éticas e filosóficas que nos permitem pensar questões importantes como os projetos de nação, de identidade cultural, luta política e de indivíduo”, complementa a diretora do Núcelo, Liliane Reales, uma das organizadora da mostra.

 

A exibição do filme de estreia da mostra, Mercado de abasto (1948), começa às 18h30min e será seguida de um debate com a cônsul argentina, mediado pelo professor Felipe Soares, professor do Curso de Cinema da UFSC. Dirigido por Lucas Demare, o musical relata a disputa de dois homens, Lorenzo Miraglia (Pepe Arias) e Jacinto Medina (Juan José Miguez), um  comerciante e o outro envolvido em atividades clandestinas. Ambos se digladiam pelo amor de Paulina (Tita Merello), feirante empregada em uma banca do Mercado de Abasto, que gosta de Lorenzo, mas se apaixona por Jacinto, em um confronto com a lei e o poder. Tita Merello, cantora de tangos, atuou no primeiro filme sonoro, justamente Tango, de 1933, e interpretou clássicos do gênero, como Filomena Marturano, é uma atriz melodramaticamente notável, segundo Antelo.

 

Na terça-feira (22), às 18 horas, o Grupo de estudos Onetti exibe outro filme marcante na estética cinematografia latino-americana:Luz de invierno (2005), dirigido por Alejandro Arroz. Um dos cineastas mais aclamados da atualidade, Arroz inspira-se nos contos de Carlos Hugo Aparício para compor três histórias independentes. Os personagens compartilham uma situação social similar nos assentamentos periféricos da cidade de Salta, além de um mesmo olhar sobre a vida e o valor do êxito na sociedade latino-americana de fim de século. O jornalista e crítico de arte Rubens da Cunha começa o debate às 19h45min.

 

A mostra prossegue na quarta-feira (23), às 18 horas, com o filme Juan Moreira (1973), dirigido por Leonardo Fávio. Do folhetim a pantomima, do sainete ao cinema, a obra narra a transformação do gaucho bueno, que depois de passar por diversas humilhações em mãos da policia e dos governantes se transforma em gaucho matrero e ícone popular. O filme será debatido com o público por Valdir Olivo Junior.

 

Histórias mínimas (2002), dirigido por Carlos Sorín, outro expoente de uma espécie de novo realismo no cinema, brinda os espectadores na sessão de quinta-feira (24), às 17h30min, com uma produção ambientada no gélido e belo cenário da Patagônia que busca os pontos de intersecção cultural nas fronteiras Brasil e Argentina. Entre Fitz Roy e San Julián, dois povoados comunicados por uma ferrovia no passado, hoje reduzido a uma estrada pouco transitada, resiste uma comunidade para a qual a televisão é o único vínculo com o resto do mundo e cujo principal expoente é o Brasil. Nesse cenário se articulam fragmentos das histórias de três personagens, em diferentes estágios de sua vida, que partem de Fitz Roy para San Julian com objetivos diversos.

 

A programação de quinta continua às 19 horas, com a exibição de Iluminados por el fuego (2005), do igualmente celebrado cineasta Tristán Bauer. Inspirado no livro homônimo de um ex-combatente da Guerra das Malvinas, conta a história de um jovem de 18 anos enviado às Ilhas Malvinas para se enfileirar na luta contra um dos exércitos mais poderosos do mundo. Os dois filmes serão debatidos a partir das 20h30min por Mariana Stasi e Byron Velez.

 

Detrás del sol, más cielo (Atrás sol, mais céu, 2007), marcante produção do cineasta Gastón Gularte, encerra a mostra na sexta-feira (25) com debate conduzido pelo professor de literatura da UFSC Raúl Antelo. A narrativa se desdobra em torno de Antonio, um jovem pobre de 17 anos que vive com sua mãe, trabalhadora na plantação de erva mate na província de Missiones, na tríplice fronteira, ou seja, no lado de lá da fronteira catarinense. O grande sonho de Antonio é viajar para o Paraguai para reencontrar-se com seu pai, pois está convencido de que somente isso mudará o seu destino. “Esse filme dialoga com toda uma tradição poética e literária (Madariaga, Juan L. Ortiz, Horácio Quieroga) de representar a região, discutir o conceito de região e evocar a filmografia que toma como eixo o rio Paraná”, comenta Antelo, acrescentando que o inscreveria naquilo que o crítico Edgardo Gutierrez, em seu livro Cinema e percepção do real chama cinema poético.

 

MOSTRA DE CINEMA ARGENTINO

Data: 21 a 25 de novembro, segunda-feira a sexta-feira, a partir das 18h

Local: Auditório da Reitoria – UFSC

Segunda (21/11):

17:30: Abertura com a cônsul argentina Mariana Bramano.

18: 30: Exibição do filme Mercado de abasto (1995) dirigida por Lucas Demare.

20:00 Debatedor: Prof. Dr. Felipe Soares

Terça (22/11):

18:00 Exibição do filme Luz de invierno (2005) dirigida por Alejandro Arroz.

19:45 Debatedor: Rubens da Cunha

Quarta (23/11):

18:00 Exibição do filme Juan Moreira (1973) dirigida por Leonardo Fávio.

19:45 Debatedor: Valdir Olivo Junior

Quinta (24/11)

17:30 Exibição do filme Histórias mínimas (2002) dirigida por Carlos Sorín.

19:00 Exibição do filme Iluminados por el fuego (2005) dirigida por Tristán Bauer.

20:30 Debatedores: Mariana Stasi e Byron Velez

Sexta (25/11):

18:00 Exibição do filme Detrás del sol, más cielo (2007) dirigida por Gastón Gularte.

Encerramento: Prof. Dr. Raúl Antelo

 

Organização: Núcleo Onetti e Curso de Cinema – CCE – UFSC

 

Texto e divulgação:

Raquel Wandelli

Jornalista da UFSC na SeCArte

raquelwandelli@yahoo.com.br

Informações: 37218304

 

ousadaufscudesc@reitoria. ufsc.br

www.secarte.ufsc.br

www.semanaousada.ufsc.udesc.br

4ª Semana Ousada de Artes começa na segunda com uma semana de espetáculos gratuitos

18/11/2011 16:53

http://www.semanaousada.udesc.ufsc.br/

São mais de cem atrações de qualidade abertas ao público: dança, música, teatro, cinema, moda, além de exposições, palestras e 25 oficinas das mais variadas áreas artísticas, todas ainda com vagas

Florianópolis será a capital da arte na última semana de novembro. Abre na segunda-feira, 21, e vai até o dia 25, a 4ª

Camerata e Polyphonia com Sinfonia Terra

Semana Ousada de Artes UFSC/UDESC, que vai concentrar na Capital um turbilhão de espetáculos e atividades artísticas gratuitas e de qualidade estendidas a mais 17 cidades de Santa Catarina. A abertura oficial acontece às 20 horas, no Centro de Cultura e Eventos da UFSC, com a apresentação do grandioso espetáculo Sinfonia Terra, criação do maestro Alberto Heller da Camerata Florianópolis. Outras três grandes produções fazem parte da Semana Ousada: o Recital com o pianista André Pires, um dos mais celebrados músicos e compositores do país, e as peças Oxigênio e Dentro Fora, que alcançaram grande sucesso de público e crítica pelo arrojo estético.

Um supercircuito de arte e cultura marcado pela ousadia vai tomar conta de diversos espaços culturais de Florianópolis e

Recital André Pires

das cidades de Araranguá, Balneário Camboriú, Calmon, Chapecó, Curitibanos, Dionísio Cerqueira, Guarujá do Sul, Joinville, Lages, Laguna, Ibirama, Matos Costa, Palma Sola, Palmitos, Pinhalzinho e São Bento do Sul. São mais de cem espetáculos gratuitos e abertos ao público, sendo sete de dança, 13 de música, 25 de teatro, oito de cinema, um de

Cena do espetáculo Dentro Fora

moda, além de 13 exposições, seis palestras e 25 oficinas das mais variadas áreas artísticas, todas ainda com vagas, exceto a de fotografia (Fotografando o In-visível). As apresentações estão descentralizadas em mais de 40 espaços culturais pelo Estado, a maioria concentrada em Florianópolis.

Antes da abertura oficial, no dia 21, às 17h30min, começa no Auditório da Reitoria a Mostra de Cinema Argentino, que terá na abertura o pronunciamento do cineasta Ezequiel Juarez e a cônsul argentina Mariana Bramano. Às 18 horas, haverá a exibição do longa-metragem Mercado de abasto, dirigido por Lucas Demare, seguido de debate mediado pelo professor Dr. Felipe Soares, coordenador do Curso de Pós-graduação em Literatura. Até o dia 25 a mostra vai apresentar seis grandes realizações cinematográficas.

Concentrados no Auditório Garapuvu do Centro de Cultura e Evento, os quatro maiores espetáculos tiveram seus ingressos distribuídos antecipadamente na quinta e sexta-feira. Além do espetáculo de abertura Sinfonia Terra, na terça, 22, às 21 horas, ocorre o Recital André Pires. A peça Oxigênioterá quatro apresentações, nos dias 24 e 25, as 19 e às 21

Oxigênio, peça de repercussão nacional

horas, enquanto a peça Dentro Fora está marcada para o dia 23 de novembro, às 21 horas. A secretária de Cultura e Arte da UFSC Maria Borges aconselha o público que quiser assistir essas quatro apresentações mais concorridas a chegar um pouco antes do horário marcado para conseguir os ingressos que sobraram da distribuição antecipada. Para os demais eventos da programação não será necessário retirar bilhetes de entrada. “Será um tributo à arte e à ousadia, com uma programação inteiramente gratuita que dá acesso ao grande público a espetáculos de qualidade”, convida a secretária.

Principais espetáculos – ainda com vagas

Sinfonia Terra – Abertura – 21 de novembro, às 20 horas

Sob a regência do maestro Jeferson Della Rocca e do compositor/pianista/maestro Alberto Andrés Heller, a Camerata Florianópolis estreia pela segunda vez o comovente espetáculo Sinfonia Terra, recém criado pelo compositor Alberto Heller, com a participação do Polyphonia Khoros e solos da soprano Masami Ganev e do barítono Douglas Hahn. O espetáculo inclui Tzigane para violino e orquestra, de Ravel (com solo de WaleskaSieczkowska) e o Concerto para violoncelo e orquestra, de Elgar (com solo de Anderson Fiorelli), obras que exigem grande virtuosidade por parte do violinista e da orquestra.

O título “Terra” faz referência à questão ambiental, presente nos textos e poemas que integram a obra, que reverencia Goethe, William Blake, Alphonse de Lamartine, Dante, Issa, Basho, Shiki e Buson, cantados em seus idiomas originais (alemão, inglês, francês, italiano e japonês). Heller procura traduzir em sons a experiência de uma ecologia profunda, onde humano e não-humano, matéria e espírito, natureza e cultura se mesclam quase que indistintamente, de tal forma que a sustentabilidade do planeta aparece indissociavelmente ligada à nossa capacidade de entrar em harmonia e equilíbrio com os inúmeros sistemas que compõem o complexo vida. Segundo Heller, a obra é resultado de uma grande procura literária e musical de textos que levam ao cerne dessas questões da vida em torno das quais a contemporaneidade se debruça.

 

            Oxigênio – 24 e 25 de novembro, das 19 às 21horas.

Com a encenação de “Oxigênio”, a companhia brasileira de teatro lança no Brasil a obra de Ivan Viripaev, completamente inédita no país. O trabalho do dramaturgo, nascido na Sibéria, tem forte identificação com o trabalho da companhia. “A musicalidade da palavra expressa no texto, a forma de se colocar diante do público e a revisão do teatro como forma de contato com a plateia são apenas alguns dos elementos que nos conquistaram”, conta o diretor Márcio Abreu. O texto trata de assuntos contemporâneos como violência, terrorismo, racionalidade, consumismo. “Discute tudo isso investigando sobre o que é essencial na existência”, completa.

Dirigida por Marcio Abreu, com Patrícia Kamis, Rodrigo Bolzan e Gabriel Schwartz, o Vadeco, responsável também pela música, a trama parte de um crime passional. Um homem, acusado pelo assassinato da própria mulher é condenado, juntamente com sua amante. A partir dessa fábula começa uma discussão, polêmica e poética, sobre dramas de uma geração e o que é o “oxigênio” de cada um. A peça estreou em dezembro de 2010 na sede da companhia brasileira de teatro em Curitiba.

Recital André Pires – 22 de novembro, às 21 horas

O pianista, maestro, professor e pesquisador (arconte) André Pires apresenta o espetáculo musical Presciliano Silva e Francisco Valle: ousando a tradição, no qual toca (ao piano) e comenta peças desses dois compositores mineiros do século XIX que ele resgatou em sua tese de doutorado, defendida em junho último na Unirio. André Pires propõe associações entre as peculiaridades das duas obras e as diferentes tradições musicais em que ambos mergulharam. Ambos os compositores tiveram parte de sua formação no Rio de Janeiro, mas Silva estudou depois em Milão, e Valle em Paris.

Na abertura da tese, André comenta: “A música de Presciliano, operística ao gosto franco-italiano, perdeu espaço para a música romântica de viés germânico, quando da substituição do Império pela República em 1889; e a músicainternacionalista de Valle caiu no ostracismo após a instalação da hegemonia do pensamento nacional-modernista pós-1922”. Professor do Curso de Música da Universidade Federal de Juiz de Fora, André Pires é premiado como pianista e como regente de coros – tendo conquistado o título de melhor regente no Concurso Sudamericano de Interpretación Coral, na Argentina, em 2004.

No mesmo dia – às 10h da manhã, também no auditório Garapuvu, entrada franca – André oferece uma Oficina de Performance Musical a cantores e instrumentistas. Na primeira parte da Oficina (também ao piano) ele fala sobre a questão da exegese do texto musical, da relação partitura/performance. Na segunda parte, ouvirá e comentará performances de participantes, individuais ou em grupo. Com relação aos pianistas ele poderá abordar questões de ordem técnico-instrumental específicas.

Dentro Fora – 23 de novembro, às 21 horas.

A peça Dentro Fora é uma homenagem a uma das mais famosas obras de Samuel Beckett, Dias Felizes. O espetáculo é uma metáfora sobre o ser humano contemporâneo. Conta o momento de duas personagens chamadas apenas Homem e Mulher, que se encontram presas dentro de duas caixas. A peça explicita a imobilidade do ser humano perante a vida.

ATENÇÃO:

Para mais informações e fotos sobre as peças acesse o site da IV Semana Ousada de Artes.

http://www.semanaousada.udesc.ufsc.br/

Principais locais de apresentação:

Cinema

Hall do Centro de Cultura e Eventos/UFSC.

Auditório da Reitoria – UFSC

Dança:

Hall do Centro de Cultura e Eventos/UFSC

Cearte/UDESC

Teatro:

Igrejinha da UFSC.

Concha Acústica/UFSC.

Auditório Garapuvu – Centro de Cultura e Eventos/UFSC

Música:

Auditório Garapuvu Centro de Cultura e Eventos/UFSC

Concha Acústica/UFSC – atividades todos os dias

Centro Cultural de Laguna.

Exposições:

Hall do Centro de Cultura e Eventos/UFSC

Sala Pitangueira Centro de Cultura e Eventos / UFSC.

Balneário Camboriú – CESFI – Centro de Convivência.

Oficinas:

Sala Laranjeira, Centro de Cultura e Eventos / UFSC.

Praça da Cidadania/UFSC.

Moda:

Pachá

Palestras

Auditório Garapuvu – Centro de Cultura e Eventos/UFSC

Sala Goiabeira – Centro de Cultura e Eventos / UFSC

Auditório do Bloco Amarelo/UDESC

 

Divulgação:

Raquel Wandelli

Jornalista da UFSC na SeCArte

raquelwandelli@yahoo.com.br

Informações: 37218304

 

Matheus Moreira Moraes

Estagiário de Jornalismo na SeCArte

Matheus.moreira.moraes@gmail.com

ousadaufscudesc@reitoria. ufsc.br

www.secarte.ufsc.br

www.semanaousada.ufsc.udesc.br

Começa distribuição gratuita de ingressos para principais atrações da Semana Ousada

11/11/2011 16:01

A Secretaria de Cultura e Arte da UFSC fará, já na próxima semana, a entrega antecipada dos  ingressos para os principais espetáculos da IV Semana Ousada de Artes UFSC/Udesc. O evento vai promover, de 21 a 25 de novembro, um supercircuito de arte e cultura em Florianópolis e em mais 17 cidades de Santa Catarina, com mais de cem espetáculos gratuitos e abertos ao público de dança, música, teatro, cinema, moda, além de oficinas, mostras, exposições e oficinas.

Na quinta-feira, 17, e na sexta, 18, das 9 às 13 horas, a Secretaria de Cultura e Arte da UFSC (SeCArte) distribui ingressos para as apresentações dos espetáculos Sinfonia Terra e Recital com André Pires e para as peças Oxigênio e Dentro Fora. Os bilhetes são gratuitos e poderão ser retirados no hall do Centro de Cultura e Eventos, ao lado do banco Santander, na UFSC.Todas essas apresentações com distribuição antecipada de ingressos ocorrerão no Auditório Garapuvu do Centro de Cultura e Eventos da UFSC. Para os demais eventos não será necessário retirar bilhetes de entrada.

Camerata abre com Sinfonia Terra

A Semana Ousada de Artes UFSC/UDESC abre no dia 21 de novembro, às 20 horas, com a Camerata Florianópolis estreando pela segunda vez em Florinópolis o grante espetáculo Sinfonia Terra. No dia seguinte, 22, às 21 horas, ocorre o Recital André Pires. A peça Oxigênio terá duas apresentações: nos dias 24 e 25, das 19 às 21horas, enquanto a peça Dentro Fora está marcada para o dia 23 de novembro, às 21 horas, todos no Auditório Garapuvu.

Espetáculos com distribuição antecipada de ingressos

Sinfonia Terra – Abertura – 21 de novembro, às 20 horas

Sob a regência do maestro Jeferson Della Rocca e do compositor/pianista/maestro Alberto Andrés Heller, a Camerata Florianópolis estreia pela segunda vez o comovente espetáculo Sinfonia Terra, recém criado pelo compositor Alberto Heller, com a participação do Polyphonia Khoros e solos da soprano Masami Ganev e do barítono Douglas Hahn. O espetáculo inclui Tzigane para violino e orquestra, de Ravel (com solo de WaleskaSieczkowska) e o Concerto para violoncelo e orquestra,de Elgar (com solo de Anderson Fiorelli), obras que exigem grande virtuosidade por parte do violinista e da orquestra.

Musico e compositor Alberto Heller

O título “Terra” faz referência à questão ambiental, presente nos textos e poemas que integram a obra, que reverencia Goethe, William Blake, Alphonse de Lamartine, Dante, Issa, Basho, Shiki e Buson, cantados em seus idiomas originais (alemão, inglês, francês, italiano e japonês). Heller procura traduzir em sons a experiência de uma ecologia profunda, onde humano e não-humano, matéria e espírito, natureza e cultura se mesclam quase que indistintamente, de tal forma que a sustentabilidade do planeta aparece indissociavelmente ligada à nossa capacidade de entrar em harmonia e equilíbrio com os inúmeros sistemas que compõem o complexo vida. Segundo Heller, a obra é resultado de uma grande procura literária e musical de textos que levam ao cerne dessas questões da vida em torno das quais a contemporaneidade se debruça.

 

Oxigênio – 24 e 25 de novembro, das 19 às 21horas.

Com a encenação de “Oxigênio”, a companhia brasileira de teatro lança no Brasil a obra de Ivan Viripaev, completamente inédita no país. O trabalho do dramaturgo, nascido na Sibéria, tem forte identificação com o trabalho da companhia. “A musicalidade da palavra expressa no texto, a forma de se colocar diante do público e a revisão do teatro como forma de contato com a plateia são apenas alguns dos elementos que nos conquistaram”, conta o diretor Márcio Abreu. O texto trata de assuntos contemporâneos como violência, terrorismo, racionalidade, consumismo. “Discute tudo isso investigando sobre o que é essencial na existência”, completa.Elenco de Oxigênio em cena

Dirigida por Marcio Abreu, com Patrícia Kamis, Rodrigo Bolzan e Gabriel Schwartz, o Vadeco, responsável também pela música, a trama parte de um crime passional. Um homem, acusado pelo assassinato da própria mulher é condenado, juntamente com sua amante. A partir dessa fábula começa uma discussão, polêmica e poética, sobre dramas de uma geração e o que é o “oxigênio” de cada um. A peça estreou em dezembro de 2010 na sede da companhia brasileira de teatro em Curitiba.

Recital André Pires – 22 de novembro, às 21 horas

O pianista, maestro, professor e pesquisador (arconte) André Pires apresenta o espetáculo musical Presciliano Silva e Francisco Valle: ousando a tradição, no qual toca (ao piano) e comenta peças desses dois compositores mineiros do século XIX que ele resgatou em sua tese de doutorado, defendida em junho último na Unirio. André Pires propõe associações entre as peculiaridades das duas obras e as diferentes tradições musicais em que ambos mergulharam. Ambos os compositores tiveram parte de sua formação no Rio de Janeiro, mas Silva estudou depois em Milão, e Valle em Paris.

André Pires ao piano

Na abertura da tese, André comenta: “A música de Presciliano, operística ao gosto franco-italiano, perdeu espaço para a música romântica de viés germânico, quando da substituição do Império pela República em 1889; e a músicainternacionalista de Valle caiu no ostracismo após a instalação da hegemonia do pensamento nacional-modernista pós-1922”. Professor do Curso de Música da Universidade Federal de Juiz de Fora, André Pires é premiado como pianista e como regente de coros – tendo conquistado o título de melhor regente no Concurso Sudamericano de Interpretación Coral, na Argentina, em 2004.

No mesmo dia – às 10h da manhã, também no auditório Garapuvu, entrada franca – André oferece uma Oficina de Performance Musical a cantores e instrumentistas. Na primeira parte da Oficina (também ao piano) ele fala sobre a questão da exegese do texto musical, da relação partitura/performance. Na segunda parte, ouvirá e comentará performances de participantes, individuais ou em grupo. Com relação aos pianistas ele poderá abordar questões de ordem técnico-instrumental específicas.

Dentro Fora – 23 de novembro, às 21 horas.

A peça Dentro Fora é uma homenagem a uma das mais famosas obras de Samuel Beckett, Dias Felizes. O espetáculo é uma metáfora sobre o ser humano contemporâneo. Conta o momento de duas personagens chamadas apenas Homem e Mulher, que se encontram presas dentro de duas caixas. A peça explicita a imobilidade do ser humano perante a vida.

Dentro Fora encena Samuel Becket

 

Para mais informações e fotos sobre as peças acesse o site da IV Semana Ousada de Artes.

http://www.semanaousada.udesc.ufsc.br/

 

Divulgação:

Raquel Wandelli

Jornalista da UFSC na SeCArte

raquelwandelli@yahoo.com.br

Informações: 37218304

 

Matheus Moreira Moraes

Estagiário de Jornalismo na SeCArte

Matheus.moreira.moraes@gmail.com

ousadaufscudesc@reitoria. ufsc.br

www.secarte.ufsc.br

www.semanaousada.ufsc.udesc.br

 

 

 

 

IV Semana Ousada oferece 22 oficinas de arte gratuitas e abertas ao público

11/11/2011 15:07

Inscrições devem ser feitas pelo site do evento até o dia 17 de novembro. Evento da UFSC e UDESC vai movimentar a vida cultural das cidades catarinenses com uma overdose de espetáculos de arte e cultura

 

Fotografia, expressão corporal, xilogravura, música, escultura, artesanato, desenho, cerâmica, teatro, performance, dança, produção cultural, máscaras, origami. Para quem gosta de artes e busca aperfeiçoamento em algum tipo de expressão artística a 4ª Semana Ousada de Artes UFSC-UDESC abre este mês a oportunidade de participar de oficinas gratuitas e abertas ao público nas mais diversas áreas com profissionais das duas universidades públicas. São 22 oficinas integrando a programação da 4ª Semana Ousada, que de 22 a 25 de novembro vai movimentar a vida cultural de Florianópolis e de 17 cidades catarinenses oferecendo mais de uma centena de espetáculos de dança, teatro, música, cinema, moda, além de palestras, exposições e mostras selecionados pela qualidade e ousadia estética.

Quem quer participar das oficinas precisa preencher o formulário de inscrição no site do evento www.semanaousada.udesc.ufsc.br de 11, amanhã até o dia 17 de novembro. Cada curso tem de 10 a 20 vagas e de um a cinco dias de duração. A Grande Florianópolis e as cidades de Araranguá, Balneário Camboriú, Lages, Ibirama, Joinville, Chapecó, Palmitos, Pinhalzinho, Guarujá do Sul, Laguna, Palma Sola, Dionísio Cerqueira e São Bento do Sul vão entrar no circuito artístico da Semana Ousada. A Camerata de Florianópolis abre a programação com o arrebatador espetáculo musical “Sinfonia Terra”. Também já estão confirmadas apresentações de grupos teatrais reconhecidos em circuito nacional, como a peça Oxigênio, de Marcio Abreu, que questiona a moral e necessidades humanas. A Mostra Catarinense de Cinema na TV UFSC e o Desfile de Moda dos Alunos da UDESC serão uma oportunidade de conhecer o produto da experimentação artística dos laboratórios de ensino das universidades públicas.

Organizada pela Secretaria de Cultura e Arte da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e pela Coordenadoria de Cultura da Pró-Reitoria de Extensão, Cultura e Comunidade da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), a 4ª Semana Ousada de Artes 2011 vai “apresentar a universidade como fonte de ousadia e sensibilidade poética, afirmando a cultura ao lado do ensino, da pesquisa e da extensão como unidades indissociáveis do conhecimento”, como assinala a secretária de Cultura e Arte da UFSC, Maria de Lourdes Borges. Essa super concentração de espetáculos gratuitos pretende democratizar o acesso ao saber nas mais diversas linguagens, promover o fazer artístico e construir nas cidades do circuito um ambiente propício à fruição e à criação da arte.

OFICINAS – 4ª SEMANA OUSADA UFSC/UDESC – inscrições de 11 a 17 de novembro pelo sitewww.semanaousada.ufsc.br

 

 

FOTOGRAFANDO O IN-VISÍVEL A PARTIR DA REALIDADE?
Data: 22 a 25 de novembro, 14h às 17h30MIN.
Ministrante: Danísio Silva
Local: Sala Laranjeira, Centro de Cultura e Eventos / UFSC.
Vagas: 14
Requisito: Cada participante deverá ter uma câmera fotográfica digital, não há necessidade de ser profissional.

Descrição: O curso “Fotografando o In-visível a Partir da Realidade?” trabalha sobre a dicotomia visível x invisível, que, não sendo uma questão premente para a filosofia, é objeto de questionamentos e preocupações daqueles que não se contentam com o caráter objetivo que orienta a visão de mundo ditada pelo senso comum. A proposta da oficina é questionar a imagem, o que implica em questionar a realidade. No curso, será possível perceber como cada um cria sua própria realidade, influenciado por outras pessoas e pelo meio. O curso tem um caráter ousado, porque propõe uma alternativa ao mundo das imagens como um fim em si mesmo. Além disso, se volta para o universo da Arte, na medida em que mexe com um mundo de inquietações, que aceita o não óbvio, que admite a ausência de limites e convenções, ou seja, um território livre para ser ou não ser.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

COM PALAVRAS E SEM ELAS. EXPRESSANDO ATRAVÉS DO CORPO
Data: 21 e 22 de novembro, 9h às 12h
Ministrante: Grupo Simulacro
Local: sala 403 (CFM) – Artes Cênicas/UFSC
Vagas: 16

Objetivo: Expressar pensamentos e emoções sem palavras, através do corpo. Aprofundar na verdade e em encontrar as ações necessárias para um comover e significar sem dizer.
Metodologia: Através de um texto se improvisará uma cena, primeiro com palavras e depois buscando condensar os significados sem as palavras, apenas com o corpo. O foco será a verdade e a organicidade do texto e do movimento. A música se configurará de acordo com as cenas improvisadas, podendo ser rítmica ou melódica, intervindo como parte das emoções que se estão vivendo em cena.
Inscrição: oficina.artes.semanaousada@gmail.com

 

GRAVURAS LAMBE-LAMBE – XILOGRAVURAS
Data: 21 de novembro, 13h30MIN às 18h00,
22, 23 e 24 de novembro,
Turma I: 09h às 12h
Turma II: 14h às 18h
Ministrante: Flávia Fernandes.
Local: Praça da Cidadania/UFSC.
Vagas: 10 por turma.
Materiaisrequisitados:
10 Folhas Papel de seda em várias cores, papel sulfite 75g folha A2, estilete, tesoura, avental, 1 colher de madeira de cozinha, goivas e formões para xilogravura,
bloco de desenho tamanho A2, pincel, lápis, carvão, 2 pacotes de estopas, régua e esquadro de 50cm a 1m.
Descrição: O objetivo á criar uma ação coletiva envolvendo artistas poetas e cidadãos tendo a xilogravura como foco de interesse e a intervenção como contraponto. As gravuras podem ser feitas individualmente ou em grupos em que cada participante trabalha uma matriz formando painéis.
A imagem gráfica é usualmente identificada com os meios urbanos e com a cultura desenvolvida nas grandes cidades em torno da produção e consumo de imagens. As cidades hoje em dia estão repletas de imagens, outdoor, cartazes que na sua maioria utilizam a linguagem gráfica dos meios digitais e fotográficos. A ação nesse workshop será de criarmos imagens gráficas poéticas sem o cunho publicitário e instalarmos em diversos lugares no campus, criando um dialogo e interferência com os lugares em que serão instalados.

 

A MUSICA E O JOGO DO ATOR
Data: 21, 22, 23 de novembro, 14h às 18h
Ministrante: Cláudia Sachs
Local: Sala 403 –  CFM Curso de Artes Cênicas/UFSC

Vagas: 16

Descrição: A partir dos pressupostos da pedagogia de Jacques Lecoq e de princípios da metodologia de Viewpoints para a formação do artista cênico, o curso apóia-se em relações entre a música, o jogo do ator e o espaço. Através de exercícios práticos de preparação corporal e de improvisação, usamos a música como parceiro de cena, como indutora da imaginação e do jogo do ator, refletindo em sua presença e escuta em cena. O objetivo é despertar a percepção para a dinâmica interna da música, os ritmos, os silêncios, as ênfases, entre outras características que podem ser transpostas para o corpo do ator, o jogo, a criação, a dramaturgia da cena.
Inscrição: oficina.artes.semanaousada@gmail.com

 

ESCULTURA EM MÁRMORE
Turma I: 22, 24 e 25 de novembro, 09h às 12h
Turma II: 22, 23 e 25 de novembro, 14h às 18h
Ministrante: Pita Camargo.
Local: Praça da Cidadania/UFSC
Vagas: 10 por turma
OBS: Montagem com acompanhamento dos inscritos, 21 de novembro, a partir das 13h.

Descrição: O escultor estará trabalhando ao vivo em uma obra já em transformação, oportunizando aos visitantes conhecer o entalhe na  pedra de forma direta, apresentando os materiais, ferramentas e  técnicas.

PRESÉPIO POPULAR
Data: 22 a 24 de novembro, 13h às 17h
Ministrante: Osmarina Vilalva
Local: Praça da Cidadania/UFSC
Vagas: 20

Descrição: Os participantes terão a oportunidade de confeccionar seu próprio presépio feito artesanalmente com materiais simples: casca da semente de pente-de-macaco, ramos secos, pequenas flores desidratadas e argila para confeccionarem as figuras de Sagrada família.
Durante a oficina o participante participará da modelagem das peças, pintura das figuras, criação do presépio e montagem final.

PRESÉPIO  DE GRANDE FORMATO
Data: 21 a 25 de novembro, 13h às 17h
Ministrante: Luís Andrés Vilalva, Osmarina Vilalva e Paulo Vilalva.
Local: Praça da Cidadania/UFSC

Oficina livre – sem inscrições.

Descrição: Os participantes poderão participar da modelagem das peças que irão compor os presépios e depois acompanhar a montagem final. Esta instalação será uma representação tradicional do nascimento do menino Jesus e ficará em frente à Reitoria da UFSC até o “Dia dos Santos Reis” .
Este trabalho é feito artesanalmente e exclusivamente pela família de artistas, utilizando materiais diversos para as estruturas, como madeiras, aramados e espumas, sendo que a cabeça e demais membros são todos feitos em cerâmica, moldados a mão.

 

DESENHOS PARA CRIANÇAS
Data: 22 a 25 de novembro, 09h às 12h e das 14h às 18h
Ministrante: Lilian Martins
Local: Lona – Praça da Cidadania/UFSC
Vagas: 35 por turma.
Duração: 60min.

Descrição: Lilian Martins convida as crianças para registrarem em caderninhos as  imagens de seu dia a dia. Esses cadernos de imagens estimulam as  crianças a observar, selecionar imagens, sintetizar, organizar ideias,  compor arranjos, e poetizar o seu cotidiano.

CERÂMICA UTILITÁRIA 2
Data: 22 a 24 de novembro
Turma I: 09h às 12h
Turma II: 14h às 17h
Ministrante: Tânia Fernandes.
Local: Praça da Cidadania/UFSC
Vagas: 12 por turma

Descrição: Diversas cidades catarinenses, colonizadas pelos portugueses, mais especialmente pelos açorianos, entre elas Florianópolis, São José e outras da Grande Florianópolis, vêm mantendo, ao longo dos últimos séculos muitas das suas tradições, incluindo-se a arte de confeccionar artefatos artesanais de barro.  Entre esses se destacam as louças, ou seja, as panelas, pratos, garrafas, jarras e outros.
Durante o evento serão confeccionados os modelos citados acima, tendo como instrumento a roda de oleiro e como matéria prima a argila. A prática desta oficina fará com que cada participante vivencie a técnica até hoje preservada, valorizando a cultura herdada.

CERÂMICA UTILITÁRIA 1
Data: 22 a 24 de novembro.
Turma I: 09h às 12h
Turma II: 14h às 17h
Ministrante: Lourival Medeiros.
Local: Praça da Cidadania/UFSC.
Vagas: 12 por turma.

Descrição: Enquanto o Oleiro vai torneando e dando forma as peças, vai  contando um pouco sobre a vida dos oleiros,como as coisas aconteciam nas olarias, da retirada das argilas a forma como amassavam o barro, como era feito a queima, como era o transporte até os centros consumidores pelo mar em baleeiras, como era o processo de aprendizado,etc…
Na segunda etapa o participante terá oportunidade praticar em um torno de cerâmica movido com os pés, aprendendo a sincronizar os movimentos dos pés para impulsionar a roda e os movimentos das mãos na modelagem das peças.

PERFORMANCE MUSICAL

Data: 22 de novembro, 10h
Palestrante: Maestro André Luis Dias Pires
Local: Auditório Garapuvu – Centro de Cultura e Eventos / UFSC

 

Descrição: Na primeira parte ao piano, ele fala sobre a questão da exegese do texto musical, da relação partitura/performance. Na segunda parte, poderá ouvir e comentar performances de participantes, individuais ou em grupo. Com relação aos pianistas ele poderá abordar questões de ordem técnico-instrumental específicas. O que de forma geral caracteriza o trabalho de André como professor, tanto para alunos regulares quanto para atividades esporádicas como esta, é o fato de que, nele, o rigor não impede, e até estimula, a heterodoxia e o bom humor.

 

 

 

TEATRO MUSICAL 
Ministrante: Rodrigo Bez Marques
Data:   23 de novembro
Local: Sala 402 CFM – Artes Cênicas/UFSC
Dias 24 e 25 de novembro,
Local: Sala 403 Artes Cênicas UFSC.
Horário: 14h às 17h
Vagas: 20

Descrição: Esta oficina tem como objetivo introduzir e instruir o aluno a respeito da arte do teatro musical. Será realizada uma aula teórica, na qual abordaremos a história do teatro musical, desde suas raízes na ópera até o teatro musical contemporâneo. O aluno acompanhará uma linha do tempo e será apresentado aos principais musicais já produzidos pelo mundo. Broadway e West End seråo apresentados aos estudantes que também conheceråo os grandes nomes do mundo dos musicais: diretores, atores, produtores, coreógrafos e autores, e poderåo conferir alguns videos destes artistas em trabalho e de forma crítica entender a relevância destes nomes para o mundo das artes. Será também realizadas práticas, nas quais serão abordadas noções de interpretação musical, ritmo, interpretação coreográfica e jogos teatrais, voltadas para o processo de criação da estética do Teatro Musical.

 

CRIAÇÕES AÉREAS EM TECIDO

23 de novembro, 10h às 12h e 24 de novembro, 16h20min as 18h30min.
Ministrantes: Luciana Fiamonici e Carla da Silva Trindade
Local: Ginásio de Aluminio – CDS/UFSC
Vagas: 15

Descrição: Propiciar um contato inicial, com a forma artística de acrobacia aérea em tecido; apresentar o implemento “tecido” e promover vivência de criação e técnicas de movimentação no solo e no ar; oportunizar experimentações enfatizando a expressividade e a criatividade nas movimentações.
Inscrição: oficina.artes.semanaousada@gmail.com

 

INTRODUÇÃO A DANÇA INDIANA CLÁSSICA E MODERNA
Data:  24 de novembro, 14h20min às 16h.
Ministrante: Grupo Aatmanatyam
Ministrantes: Adriane Martins e Madhava Keli (Maria Clara S. Tavares).
Local: Sala de Dança A – CDS/UFSC
Vagas: 20

Descrição:Esta oficina pretende, por meio de exposição teórica, explicar sobre as variações e estilos de danças na Índia; expressões e gestos e o contexto musical e o papel da dança no cinema indiano. Após, será feita a parte prática com um aquecimento, exercícios de expressão e consciência corporal; Técnicas de alguns movimentos na dança indiana; Introdução a passos básicos da dança indiana (moderna e clássica); Movimentos com as mãos e braços, movimentos com os pés, movimentos da cabeça, giros.
Inscrição: oficina.artes.semanaousada@gmail.com

DANÇAS CIRCULARES DOS POVOS: ENCONTROS
Data:  24 de novembro, 16h30min.
Ministrantes: Giselle Ventura, Luciane Ventura, Patrícia Guerrero, Terezinha Maria Cardoso (TMaria).
Local: Praça da Cidadania – na frente da reitoria
Vagas: ilimitadas

Descrição: As Danças Circulares são praticadas em grupo e englobam diversos ritmos, cantos e danças de povos e culturas do mundo. Através dos passos em círculo, nós nos socializamos, nos integramos, nos alegramos e, sobretudo, a dança possibilita o encontro consigo e com o outro. Sendo assim, essa oficina busca: Vivenciar danças tradicionais de diferentes povos e culturas;  Vivenciar danças contemporâneas, danças dos Florais de Bach e danças de roda brasileiras; Desenvolver as capacidades expressivas e criativas dos participantes através de uma prática e de um movimento coletivo, afetivo, sensível e simbólico.
Inscrição: oficina.artes.semanaousada@gmail.com

O PALHAÇO E O JOGO
Data: 24 de novembro, das 9h às 12h.

25 de novembro  das 9h às 12h e às 14h saída de palhaço no Campus da UFSC
Ministrante: Paula Bittencourt de Farias
Local: Sala  403 (CFM) – Artes Cênicas/UFSC
Vagas: 15

Descrição: A oficina tem como principal foco a experimentação prática. Os conceitos relativos ao jogo cômico serão abordados na medida em que forem vivenciados corporalmente através de jogos e exercícios. O encontro permitirá uma breve exposição do universo do palhaço por meio de brincadeiras, exercícios corporais, práticas de improvisação e jogos que introduzam elementos da comédia. Buscar-se-á levar o aluno/ator a um estado de percepção de seus mecanismos geradores de comicidade (ritmo / forma particular agir, reagir e se relacionar com as dinâmicas).
Inscrição: oficina.artes.semanaousada@gmail.com

 

PRODUÇÃO E GESTÃO PARA AS ARTES CÊNICAS

Ministrante: Pedro H.S. de Freitas

Data da oficina: 21 a  23 de novembro

Horário: 14h às 18h

Local: Sala 401 – CFM – Curso de Artes Cênicas /UFSC

Número de vagas: 20

Sinopse da oficina: produção cultural viabiliza a criação da arte e mediação perante seus públicos para sua fruição. Assim, mais que inserirprodutos no mercado das artes, é função do produtor cultural a elaboração de estratégias que tornem possíveis a criação e a fruição de bens simbólicos.
O curso parte desta dimensão do fazer cultural, procurando localizá-la como ação. O seu objetivo é oferecer aos participantes noções gerais para a gestão de projetos culturais nas artes cênicas: sua formatação para editais e leis de incentivos; o debate sobre a relação entre o processo de criação e a sua administração; a leitura dirigida e a discussão de textos sobre a produção cultural contemporânea  – os artifíciosde gestão que viabilizam os artifícios da cena. Assim, tanto quanto fornecer instrumental para o aluno-participante viabilizar projetos culturais, espera-se contribuir para a o seu processo de formação como agente social da cultura. Conteúdo programático: O papel da produção / Contextualização de Cultura no Brasil / Financiamento à Cultura: Ação Privada e ação Estatal / Elaboração de Projetos (Concepção, objetivos, justificativa) / Planejamento (Orçamento; cronograma) / Estratégia de Plano de Comunicação / Captação de Recursos

Inscriçõesoficina.artes.semanaousada@gmail.com

 

 

 

 

 

 

DANCE ABILITY

Data: 23 de novembro, das 9h às 12h
Ministrante: Pedro Pinheiro
Local: sala 403 (CFM) – Artes Cênicas/UFSC

Vagas: 15
Descrição: Dance Ability é um método de dança que utiliza a improvisação de movimento para promover a exploração artística entre pessoas com e sem deficiência.

Desde sua criação há cerca de 30 anos, a Companhia Joint Forces, dos EUA e seu diretor Alito Alessi têm mantido como propósito cultivar o comum desenvolvimento da dança e o movimento para a expressão criativa de todas as pessoas. DanceAbility oferece um caminho de inclusão a partir de exercícios simples num ambiente respeitoso, seguro e acolhedor.

Sem movimentos pré-determinados, em Dance Ability, a capacidade para dançar de cada indivíduo se define menos por suas qualidades técnicas do que por sua presença, sua escuta aos outros e à atmosfera criada pelo grupo.
Enquanto acolhe-se a riqueza da diversidade, preconceitos são colocados em jogo, transformados a partir da experiência com o outro.

Inscriçõesoficina.artes.semanaousada@gmail.com

 

 

 

 

 

 

BALNEÁRIO CAMBORIÚ

 

OFICINAS DE MÁSCARAS E ABAYOMIS

Data: 23 de novembro

Vagas: 30
Descrição: A oficina pretende mostrar a diversidade cultural africana através deste elemento que é a máscara, trazendo a importância da máscara para a cultura africana. Sendo que este projeto é uma ação de extensão que está inserida no Programa Memorial Antonieta de Barros do núcleo de Estudos Afro-Brasileiros.
Duração: 2 horas

Informações no site

LAGES

 

EDITORIAL PRODUTOSTYLE

Data: 23 de novembro, 10h

Ministrante: Manoela Ferreira

Local: CAV/UDESC

Oficina livre sem inscrições

 

Descrição: Trabalho proposto pela matéria de Produção de Moda e Imagem, da 5ºfase do curso de Design de Moda da UDESC.  Elaborou-se um editorial de moda que tem por tema, o lifestyle da empresa que está se trabalhando no projeto interdisciplinar da mesma fase. Este trabalho consiste na perspectiva de produzir uma visualização do suposto público-alvo existente, de uma empresa do projeto interdisciplinar. A temática envolve valorizar o comportamento de um mesmo objeto em diferentes faixas-etárias. De como esse público interage com os mesmos produtos oferecidos no mercado, implementando suas particularidades e individualidades em diferentes valores estéticos.

Duração: 1h


SÃO BENTO DO SUL

OFICINA DE MÁSCARAS E ABAYOMIS

Data: 21 de novembro, período vespertino

Local: Escola Estadual Urbana Carlos Ziopperer Sobrinho

Vagas: 30

Descrição: A oficina pretende mostrar a diversidade cultural africana através deste elemento que é a máscara, trazendo a importância da máscara para a cultura africana. Sendo que este projeto é uma ação de extensão que está inserida no Programa Memorial Antonieta de Barros do núcleo de Estudos Afro-Brasileiros.
Duração: 2h.

 

OFICINA DE ORIGAMI: METAMORFOSE

Data: 23 de novembro, período vespertino
Ministrante: Kathia Yuri

Local: Escola Estadual Urbana Carlos Ziopperer Sobrinho

Vagas: 20

Descrição: A proposta da oficina é proporcionar o aprendizado de transformar pedaços de papel em figuras como: animais, objetos utilitários, flores e várias outras formas. Independente da idade.
Duração: 1 h.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Divulgação: Raquel Wandelliraquelwandelli@yahoo.com.br

99110524 e 37218729

www.secarte.ufsc.br

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

UFSC NA EUROPALIA BRASIL DE LITERATURA

07/11/2011 17:58

Professores dos Cursos de Literatura e Artes cênicas da UFSC proferem conferências no Festival Internacional de Artes da Europa analisando escritores brasileiros

Dois professores da UFSC estão no Festival Internacional de Artes da Europa, o Europalia Brasil, participando como palestrantes de uma Conferência sobre Literatura, que se realiza de 7 a 9 de novembro, no Seminarzentrum de Berlim, na Alemanha, sob o tema geral Literatura Brasileira no Contexto Lationoamericano. Dirce Waltrick Amarante, professora do Curso de Artes Cênicas da UFSC e Sérgio Medeiros, diretor da Editora da UFSC e professor do Curso de Pós-Graduação em Literatura vão apresentar estudos sobre Wilson Bueno e Rodrigo de Souza Leão, respectivamente.

 

Lançada em Bruxelas, em 1969, a Europalia é um grande festival internacional que a cada dois anos apresenta o essencial de um país e nesta edição reverencia o Brasil. Todas as práticas artísticas, incluindo música, artes plásticas, dança, teatro, cinema, literatura, arquitetura, designe, moda, gastronomia serão encenadas e debatidas de outubro de 2011 a fevereiro de 2012 em 200 diferentes espaços europeus. A Conferência de Literatura de Berlim reúne 28 painelistas, entre críticos literários brasileiros consagrados, como Augusto Massi, Ítalo Moriconi e Flávia Sussekind e teóricos estrangeiros que farão conexões entre obras de autores brasileiros e de outros países.

 

O evento também abre espaço para escritores falarem sobre sua produção artística, como Sérgio Santana e Age de Carvalho, que darão um depoimento dentro do painel: Práticas literárias no Brasil contemporâneo. E o evento encerra com arte, às 17 horas do dia 9, quando a cantora e compositora Adriana Calcanhoto e o poeta e filósofo Antônio Cícero vão entrelaçar seus conhecimentos práticos e teóricos sobre Música e Poesia. Ambos também participam em Bruxelas, ao lado de Arnaldo Antunes e Cid Campos, de um sarau literário promovido pelo Ministério da Cultura e embaixada do Brasil na Bélgica em homenagem ao aniversário de 80 anos de Augusto de Campos.

 

A conferência de abertura terá Jobst Welge (FU Berlin) & Tânia Dias (FCRB, Rio de Janeiro) falando sobre as “Transformações e permanências na prosa e na poesia brasileiras — do moderno ao contemporâneo”. A professora Dirce Waltrick Amarante, profere palestra no dia 7, às 14 horas, sobre “As fábulas de Wilson Bueno”, dentro do painel Ficção: Discussões, do qual participam ainda Beatriz Resende (UFRJ), com a comunicação “A literatura brasileira num mundo em trânsito”; Natalia Brizuela (Berkeley), com o tema “Artifício, realidade, opacidade, verdade: notas sobre literatura contemporânea” e Luz Horne (Universidad de San Andrés), que falará sobre “Arquivos afetivos: políticas da subjetividade na literatura brasileira e hispanoamericana contemporâneas”.

 

Às 10 horas do dia 8 o professor Sérgio Medeiros fala sobre A Ficção de Rodrigo de Souza Leão. Medeiros divide a mesa Alteridades com Manoel Ricardo (da UNIRIO), que falará sobre “Poesia brasileira moderna, às avessas: Max Martins, Joaquim Cardozo, Horácio Dídimo”; Rita Olivieri Godet (Université Rennes 2), que abordará o tema “Poética da alteridade na literatura brasileira contemporânea” e o teórico italiano Ettore Finazzi-Agró (Univ. de Roma La Sapienza), com a palestra “Munus e communitas: a identidade negociada e a comunidade ausente na Modernidade brasileira”.

 

 

Divulgação: Raquel Wandelli, Jornalista na SeCArte/UFSC

Fones: 37219459 e 99110524

raquelwandelli@yahoo.com.br

www.secarte.ufsc.br

www.agecom.ufsc.br

EUROPALIA. Brasil

 

LITERATURA BRASILEIRA NO CONTEXTO LATINO AMERICANO

BRAZILIAN LITERATURE

IN A LATIN AMERICAN CONTEXT

07.-09. Nov. 2011, FU Berlin

Seminarzentrum L 116

Habelschwerdter Allee 45

14195 Berlin

07. 11.

9.00 Opening Remarks / Abertura

Jobst Welge (FU Berlin) & Tânia Dias (FCRB, Rio de Janeiro)

Transformations and Continuities in Brazilian Prose and Poetry—from the Modern to the Contemporary

(Transformações e permanências na prosa e na poesia brasileiras—do moderno ao contemporâneo)

9.30 Poetry: Discussions / Poesia: discussões

Viviana Bosi (USP): O sujeito lírico: forma obscura.

Vera Lins (UFRJ): Sebastião Uchoa Leite e a tradição moderna.

14. 00 Fiction : Discussions / Fiçcão: discussões

Dirce Waltrick do Amarante (UFSC): As Fábulas de Wilson Bueno.

Beatriz Resende : A literatura brasileira num mundo em trânsito.

Natalia Brizuela (Berkeley): Artifício, realidade, opacidade, verdade: notas sobre literatura contemporânea.

Luz Horne (Universidad de San Andrés) : Arquivos afetivos: políticas da subjetividade na literatura brasileira

e hispanoamericana contemporâneas.

17.00 Literary Practices in Contemporary Brazil / Práticas Literárias no Brasil contemporâneo

Age de Carvalho

08. 11.

10.00 Alterities / Alteridades

Manoel Ricardo (UNIRIO): Poesia brasileira moderna, às avessas: Max Martins, Joaquim Cardozo, Horácio Dídimo.

Sergio Medeiros (UFSC): The Fiction of Rodrigo de Souza Leão.

Rita Olivieri Godet (Université Rennes 2): Poética da alteridade na literatura brasileira contemporânea.

Ettore Finazzi-Agró (Univ. de Roma La Sapienza) : Munus e communitas: a identidade negociada e a

comunidade ausente na Modernidade brasileira.

14. 00 Connections / Connecções

Luiza Moreira (Binghamton University): Mario de Andrade e Carpentier.

Jobst Welge (FU, Berlin) : Transnational Relations : Mario de Andrade and German Culture.

Sara Brandellero (Universiteit Leiden) A voz latino-americana de João Cabral de Melo Neto.

17.00 Literary Practices in Contemporary Brazil / Práticas Literárias no Brasil contemporâneo

Sergio Sant’ Anna

09. 11.

10. 00 Regional and Universal / Regional e Universal

Friedrich Frosch (Universität Wien) : Graciliano Ramos e as construções de espaços.

Myriam Ávila (UFMG) : The other Guimarães Rosa : Fragments of a Diary.

Ana Luiza Martins Costa (Pesquisador independente) : Metamorfose em Guimarães Rosa.

Regina Lucia Faria (UFRRJ) : A poesia modernista de Mário de Andrade.

Jéssica Backe (Berkeley) : Poetic Reconfigurations : Concrete and Visual Poetry in Brazil and Hispanic America.

14. 30 Notions of Literary Culture / Noções de Cultura Literária

Flora Süssekind (FCRB/ UNIRIO)

Ítalo Moriconi (UERJ)

Augusto Massi (USP)

Sérgio Alcides (UFMG)

17. 00 Closing Event / Encerramento: Poetry and Music / Poesia e Música

Adriana Calcanhotto

Antonio Cicero

……………………

INFORMATION: Jobst Welge (welge@zedat.fu-berlin.de)

Exposição de objetos indígenas será atração principal no dia nacional da cultura

04/11/2011 14:54
O Museu Julio de Castilhos vai comemorar o dia nacional da cultura, em 5 de novembro, realizando a mostra: Guarani, Kaingáng e Xocleng – Memórias e Atualidades ao Sul da Mata Atlântica. Organizada pelos alunos do Curso de Graduação em “Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica”, a exposição integra 61 objetos e ficará no museu até o final de março de 2012.

 

Com abertura às 14 horas, o objetivo da mostra é apresentar ao público o modo de vida de etnias indígenas que habitam as regiões sul e sudeste do país do ponto de vista de representantes desses povos, que são alunos de graduação na UFSC. A concepção e a curadoria são compartilhadas entre alunos do curso, equipe do Museu Universitário e a colaboração de outros profissionais e alunos da UFSC. A antropóloga Maria Dorothea Darella destaca que a idéia da exposição foi recebida com entusiasmo pelos alunos e preparada como uma forma de “expor seus objetos e também se exporem”.

 

Sob a coordenação da professora Ana Lúcia Vulfe Nötzold, do curso de História do CFH, o Curso de Graduação “Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica” é direcionado aos grupos indígenas Kaingang, Xokleng e Guarani. Com o apoio da Coordenação Interinstitucional para Educação Superior Indígena (CIESI) em seu planejamento, o curso tem duração de quatro anos, e parte desse tempo os alunos se dedicam a atividades acadêmico-científico-culturais, como palestras, debates, viagens de pesquisa, visitas a museus, a sítios arqueológicos, além de outras programações. Dentro da pedagogia da alternância e da filosofia da educação de jovens e adultos, eles passam um tempo intercalado entre as aulas aplicando os conhecimentos nas aldeias antes de regressarem às salas de aula.